granitecountertop.mobi
Baixar Community
 

CRONUS EMULATOR SQL DOWNLOAD GRÁTIS

granitecountertop.mobi  /   CRONUS EMULATOR SQL DOWNLOAD GRÁTIS
postado por Kelsey

CRONUS EMULATOR SQL DOWNLOAD GRÁTIS

| Escritório

    Contribute to Cronus-Emulator/Cronus development by creating an account on Clone or download sql-files · Correção do commit anterior, 2 years ago. Posts sobre Cronus-Emulator escritos por John. vai na pasta do emulador que você escolheu, entre na pasta sql-files e importe os arquivos. Link do Download: granitecountertop.mobi?3bobd6rjfwrx você vai na pasta do emulador que você escolheu, entre na pasta sql-files e.

    Nome: cronus emulator sql download grátis
    Formato:ZIP-Arquivar
    Sistemas operacionais: iOS. Windows XP/7/10. MacOS. Android.
    Licença:Apenas para uso pessoal (compre mais tarde!)
    Tamanho do arquivo:40.36 Megabytes


    EMULATOR GRÁTIS CRONUS SQL DOWNLOAD

    Se existe mais que MaxSpareServers, ele fecha alguns processos. As vezes alguns membros recebem convite para se juntar a equipe. BitTorrent é um cliente Peer-To-Peer. Trata-se de empacotar e compactar usando o comando tar zcf o arquivo de 1,3 Gigabytes de tamanho, gravado anteriormente. Sunglasses Enchanter NpC please. The structure of this map is really simple: Only 4 Plazas: North, center, south and east, connected by bridges and all of the areas are flat and open, that was how my customer wanted it. By using this site, you agree to our Terms of Use and Privacy Policy. Mais de um endereço podem ser especificados separados por espaços.

    Posts sobre Cronus-Emulator escritos por John. vai na pasta do emulador que você escolheu, entre na pasta sql-files e importe os arquivos. Link do Download: granitecountertop.mobi?3bobd6rjfwrx você vai na pasta do emulador que você escolheu, entre na pasta sql-files e. Cronus Tools · Download do granitecountertop.mobi · [GITHUB] Reportar Bugs do as novidades referentes ao desenvolvimento de projetos oficiais e/ou emulador. Cronus é um emulador de Ragnarök, baseado no eAthena, sendo free-ware e open-source. "Onde eu faço o download do Cronus?" O download do Cronus. Download Cronus Emulator Edited by SakaDz for free. text wont turn blue even i set the char_ del_ delay to. Cronus Emulator Trunk TXT / SQL Rev.

    Caso alguns dos servios acima esteja parado, para ativ-lo: [root localhost] cds [root localhost]. Na inicializao de minhas estaes aparece um erro referente ao kernel. O que fao? Aparecer na tela a relao dos kernel's que podem ser instalados, selecione o com final. Saia do Linuxconf e reinicie uma mquina boot-remoto e verifique que todos os processos de inicializao passam normalmente. Minhas mquinas clientes possuem placas de rede davicom. Como criar um disco de boot para elas?

    Primeiramente deve-se baixar o arquivo "davicom. Agora, coloque um disquete em branco em seu drive e crie a imagem com o seguinte comando: Se sua placa for uma davicom [root localhost root] cat floppyload.

    Se sua placa for uma davicom [root localhost root] cat floppyload. Como configurar as estaes de trabalho de boot remoto? Problemas na impresso com boot remoto Foram detectados alguns problemas com relao ao NFS, mandando imprimir em uma estao boot remoto. Esse problema causa erros e ou corte de parte do relatrio que enviado para o spool. At que esse problema seja resolvido informamos que somente ser possvel imprimir em uma estao se a mesma possuir hd. Captulo 5. DHCP 6. Como fao para configurar meu DNS bind?

    Isto evita ter que decorar uma sequncia grande de nmeros IP's. Parece no haver muito sentido em executar tal operao mas existem aplicativos que se utilizam deste servio como o irc internet relay chat. Configurao bsica da mquina. Vamos primeiro configurar os tens bsicos do servidor, como nome, domnio. Para isto ser utilizado o aplicativo linuxconf. Nota: Neste exemplo configuraremos o domnio chamado intranet e o nome do servidor DNS se chamar server e uma rede classe C mscara Aqui esto somente as configuraes obrigatrias, entretanto para este procedimento funcionar a placa de rede deve estar funcionando corretamente, caso contrrio configure-o antes de continuar.

    Configurao do DNS. Nota: o ponto tambm faz parte da configurao server. Cadastrar as workstations que fazem parte do domnio. Ser apresentado o nmero referente ao loopback Neste mesmo campo dever ser cadastrada a sua rede Ex Agora vamos acrescentar o endereo reverso do nosso domino.

    Configurar mquinas virtuais Neste exemplo estamos criando um atalho da mquina www. Iniciando o servio DNS Agora para "levantar" o servidor server. Estas informaes so ou nomes dos hosts ou seus nmeros IPs , e os servidores de nomes e servidores de e-mail dos mesmos. Exemplo: [root localhost] host www. No exemplo acima o host o apelido da mquina responsvel dino.

    No exemplo acima os servidores de e-mail do conectiva. Para maiores informaes, digite: [root localhost] man host. Como configurar um DNS secundrio? Uma funo chave do sistema de DNS a habilidade de manter uma cpia da informao de seu domnio. A informao no copiada para o primrio, mas ao invs disso, puxada pelos secundrios. As regras so definidas pelo primrio. Resumindo, o administrador do DNS secundrio tem que dizer ao seu DNS para agir como um secundrio para um dado domnio, mas o primrio quem o dir como!

    Alguns conceitos:. Nmero serial O secundrio conversar regularmente como dito pelo primrio com o primrio e checar o nmero serial nmero de reviso do domnio.

    Se o nmero serial for o mesmo da cpia que ele possui, ou menor, nenhuma cpia ser feita. Um erro bem comum esquecer-se de atualizar o nmero serial registro SOA. O secundrio no copiar a informao nova e isso pode gerar comportamentos estranhos. O Configurador Linux gerencia nmeros seriais automaticamente! Configurao A especificao do secundrio simples. D um nome de domnio e o nmero IP do DNS primrio para o domnio, seguido opcionalmente pelos nmeros IP alternativos caso o primeiro falhe.

    O Configurador Linux toma conta de definir um arquivo para que uma cpia de segurana seja guardada. A quem devo contar? Algum tem que dizer ao outro que o seu DNS o secundrio de um dado domnio. Se isso no for feito, ento seu DNS trabalhar intilmente: ele no receber requisio alguma para aquele domnio. Este trabalho deve ser feito nas especificaes do primrio veja divulgao do DNS. Alm disso, ele tem que registrar esta informao no DNS de seu domnio pai. Isso freqentemente esquecido.

    Configurao na mquina DNS Primrio: [root localhost] linuxconf. O resto das configuraes so normais. Com isso ao iniciar o named aparece uma mesagem de erro de "Permisso Negada". Isso porque o servio named executado com o usurio named. O Tallyman possui um instalador baseado na linguagem Perl, escrito para simplificar a instalao de sistemas de comrcio virtual baseado em Tallyman. Para iniciar o script de instalao execute como super usurio: 1.

    Escolha a opo S configure software. Lembrando que no passo 17 a senha especificada deve ser a mesma que foi adastrada com o comando alter user postgres with password minhasenha. Escolha a opo u Configure store URLs. Lembrando que as opes 21,23,24,25,26 deve ser substitudo pelo domnio real do site. Deve ser um domnio vlido e j registrado. Para fins de teste, pode ser utilizado um domnio interno de uma intranet, nesse caso colocamos o endereo IP da mquina Escolha a opo m Configre miscellaneous.

    Enter you store name: Loja Demonstrao Enter a store id: demo Do you want to create sample store datea? Enter the bouceback email address: informar o email para mensagens de erro Enter the shopping basket from email address: informar o email da loja Escolha a opo f Use this store configuration as a globas default.

    Escolha a opo a For this session and future sessions. Escolha a opo i Install store. Leia a mensagem. Escolha a opo q quit duas vezes para sair do instalador. Caso queira um detalhamento de todas essas opes verifique no manual a seo A instalao da loja demonstrao est completa, o prximo passo configurar os aspectos de segurana e o arquivo de configurao do Apache httpd.

    Utilizando a conta do root, siga as instrues abaixo:. Salve o arquivo F2 e saia do programa F10 Reinicie o Apache com o comando: [root localhost] cds [root localhost]. Para gerar a loja, inicie o navegador e aponte-o para:. Ele ir pedir um usurio, digite ento admin, em seguida ir pedir uma senha, digite aquela senha que o sr. Quando acessar a pgina de administrao primeiramente clique em Regenerate para criar reconstruir todo o site. A rotina de regenerao deve ser executada sempre qeu mudanas ocorrerem no site, ou aps a criao de um site novo.

    Novos arquivos HTML sero gerados em substituio aos antigos se existirem e todas as pginas onde o mesmo produto ou contedo aparecem sero atualizadas automaticamente. Sero apresentadas mensagens para cada objeto qeu estiver sendo regenerado.

    Preparando o Ambiente

    Caso ocorra algum erro, ser apresentada uma mensagem na cor vermelha. Essas mensagens em vermelho so importantes para a depurao de possveis falhas na estrutura do site. Quando a loja estiver completamente criada, o regenerador apresentar a mensagem Regen Finished e informar o tempo de regenerao da loja. Esse tempo depende da plataforma de hardware, velocidade da conexo, estrutura do site e quantidade de produtos. Como proceder a instalao do ecommerce em uma mquina limpa?

    Se no existe ainda nenhum sistema instalado no seu computador ento para fazer a instalao basta colocar o CD do ecommerce e proceder normalmente com a instalao.

    [] Cronus Trunk SQL/TXT | Central Ragnarok Online

    Depois de efetuada a instalao deve-se partir para o prximo passo que a configurao do banco de dados. Como fao para atualizar o meu sistema que est rodando o Conectiva Linux 5.

    Recomendamos fortemente que, ao invs de atualizar um sistema existente, seja reservada uma mquina exclusiva para hospedar o servidor de comrcio eletrnico. Entretando, caso seja estritamente necessrio devido a necessidades especficas de cada empresa, podem ser utilizados sistemas j existentes em funcionamento.

    Para o postgreSQL deve-se tomar um cuidado especial, caso j exista uma base de dados no sistema antigo, logue-se ainda no sistema antigo, antes da atualizao como usurios postgres, utilizando o comando: [root localhost] su -l postgres. Isso ir criar o arquivo database. Depois de feito todo o backup necessrio agora o prximo passo fazer a atualizao do sistema.

    Agora entre na instalao do linux normalmente e quando aparecer a mensagem Bem vindo ao Conectiva Linux" ento digite: boot: linux updates. O instalador ir pedir o disquete de atualizaes. Insira-o no drive, e continue a atualizao normalmente. No momento que for feita a pergunta: Would you like to change the list of packages to upgrade?

    Depois de feita a atualizao hora de restaurar o backup das suas bases de dados do postgreSQL caso tenha sido feito o backup.

    Logue-se no sistema e torne-se o usurio postgres su -l postgres e execute o comando para importar os dados de sua base antiga para a nova base recm criada pelo Postgres. Isso ir recriar todas as suas tabelas e os dados contidos nelas. Em caso de dvidas, consulte a rea relevante na documentao do PostgreSQL. Como configurar o Banco de Dados no Ecommerce? Agora execute os seguintes comandos: [root localhost] cds [root localhost]. Nesse ponto necessrio criar um banco de dados mestre.

    Este ser administrado por um superusurio que ter direitos de criao dos bancos de dados das lojas. Para isso necessrio entrar como super usurio do sistema e em seguida entrar como usurio postgres: [root localhost] su -l postgres. Esta senha ser solicitada na configurao do Tallyman. Salve F2 e saia do arquivo F O nome do usurio postgres uma sugesto de fcil memorizao. Outros nomes que atendam melhor a necessidades ou gostos individuais podem ser utilizados.

    O roteiro abaixo define um usurio e uma senha para todas as URLs administrativas do Tallyman. No exemplo acima estamos criando um usurio chamado admin, que possuir direitos para configurao do Tallyman.

    Para isso siga os passos: Pressione F7 para fazer a busca por palavras, e escreva libperl. Caso o indicador de OK no tenha sado na sua tela ento alguma configurao no arquivo httpd. O prximo passo agora criar uma loja virtual. O que fao quando, ao iniciar o Apache, aparece a mensagem de erro cannot determine local host name?

    O erro aparece quando se inicia o Apache: [root localhost]. Use the ServerName directive to set it manually. Nesse caso server. Em seguida execute os seguintes comandos para que a alteraes sejam ativadas: [root localhost] hostname server. Agora execute novamente: [root localhost] cds [root localhost]. Como a verso no e-commerce lilo Para isso execute novamente a instalao do ecommerce e quando aparecer a mensagem Bem vindo ao Conectiva Linux digite rescue. Depois de alterado o arquivo, salve F2 e saia F Escrevi ou esqueci a senha no Banco de dados, como fao para colocar uma nova?

    E ento agora continue com os procedimentos de criar novo banco de dados e trocar a senha do usurio postgres. Fiz a instalao do ecommerce, porm no possuo nenhuma placa de rede, o que fazer agora? Nesse exemplo servidor. Porque e como utilizar o disco de updates do instalador? Para os seguintes problemas:. Correo do bug do lba32 no lilo. Agora entre na instalao do linux normalmente e quando aparecer a mensagem eBem vindo ao Conectiva Linux ento digite: boot: linux updates. Caso seja necessrio entrar no modo expert de instalao, digite: boot: linux expert updates.

    Unix socket ''? Soluo: Verifique se sua rede est funcionando. Aps isto inicialize a rede: [root localhost] cds [root localhost]. Para corrigir este problema edite o arquivo novamente. Verifique se existe alguma linha sem o smbolo. Todas elas devem ter este smbolo com excesso das duas ltimas linhas com a palavra crypt. Edite o arquivo e deixe-o apenas com as linhas: local host all all Clique em F2 para salvar e F10 para sair. Abaixo segue a lista dos pacotes a serem atualizados.

    Logue-se no sistema e torne-se o usurio postgres su -l postgres e execute o comando para importar os dados de sua base antiga para a nova base recem criada pelo Postgres. Por que meu e-commerce no carrega a pgina index. Quais os passos para se criar mltiplas lojas virtuais no e-commerce? Depois de ter criado a loja chamada demo, vamos criar uma outra loja agora chamada teste:. Escolha a opo c create a new store 9. Escolha a opo d configure database Escolha a opo 2 postgreSQL.

    Enter the database username: teste Enter the database password: teste Should I try to create the user? Should I try to drop the user? Postgres privileged user account: postgres. Postgres privileged user password: minhasenha Should I try to create the tables? Escolha a opo r Configure store directories. Escolha a opo m Configure miscellaneous. Enter you store name: Loja Teste Enter a store id: teste Do you want to create sample store datea? Do you want to import UPS zone-based shippng data?

    Enter the origin zipcode of your store: Enter the administrator's email address: informar o email do administrador de sistemas. Enter the bouceback email address: informar o email para mensagens de erro Enter the shopping basket from email address: informar o email da loja Escolha a opo f Use this store configuration as a globas default.

    Isso far com que o store id da loja demonstrao s seja informado ao Tallyman se uma das URLs dessa loja for acessada.

    Crie novos aliases para a loja teste. Assim, o store id da loja teste s ser informado ao Tallyman se uma das URLs dessa loja for acessada. Este trecho do httpd. Reinicie o Apache com o comando: [root localhost] cds [root localhost]. Finalmente para ver como est a sua loja virtual aponte o seu browser para:.

    Captulo 8. Como fao para configurar o Freesswan O Conectiva Linux 5. Servidor j tem kernel preparado para freeswan 1. Se a verso instalada ainda no for esta, ento faa o upgrade do pacote RPM do kernel para o pacote que vem com a 5. Se no tiver, instale-o. Para isso, monte o primeiro cd do conectiva 5. Ele contm tudo o que extra-kernel utilitrios e daemons e instalado separadamente.

    Tenha certeza que a configurao do kernel est ok. A parte de rede deve estar funcionando perfeitamente antes de iniciar a instalao. Este parmetro quando setado para 2 como est originalmente impede o link de ser estabelecido com sucesso.

    Nenhuma configurao ser necessria nas estaes, apenas nos gateways. Estes arquivos ambos devem ter permisses por questes de segurana. O dono e o grupo deve ser "root:root". O arquivo ipsec. A seguir um exemplo para o caso mais comum. S foram listadas as partes relevantes. O resto pode ser deixado como est no arquivo original. Imagine o seguinte exemplo:.

    Segue um arquivo de configurao que serviria para a rede acima. Observe que o arquivo de configurao original muito mais completo, e aqui s foram mostradas as partes relevantes. O restante do arquivo pode ser deixado intacto, salvo nota especfica. Na primeira seco temos config setup que especifica a seco geral de configurao do ipsec. Esta seco normalmente no ser modificada. Cuide para que pelo menos as linhas listadas existam e estejam corretas. Esta seco no indica uma conexo especfica, mas serve para que voc possa listar quaisquer parmetros que voc queira que sejam vlidos para todas as conexes.

    Listar alguma opo aqui o mesmo que list-la repetidas vezes dentro de cada uma das conexes. No caso acima esto listadas duas keywords interessantes as outras podem ser deixadas como esto no original. Por ltimo, conn con a conexo que estamos tentando estabelecer. Podem existir vrias conexes, basta repetir esta parte com novos parmetros. Antes de irmos para os nmeros em si, uma breve explicao do significado de left e right. Eles representam "os dois lados" da conexo.

    No faz diferena quem qual, apenas que os dois lados estejam listados. O freeswam descobre sozinho qual ele mesmo e qual o outro lado, atravs do IP indicado.

    Deve-se indicar a netmask em conjunto com o endereo de rede. Nesses casos comuns pode-se deixar as instrues "nexthop" comentadas, como no exemplo. Mais sobre isso adiante, no item do arquivo ipsec. Normalmente no ser usada. Todos estes conceitos so igualmente aplicveis ao outro lado, apenas substituindo "left" por "right". Ela poder ser iniciada mais tarde manualmente pouco usado. Como j foi dito, deve-se dar preferncia para o tipo RSA.

    DOWNLOAD GRÁTIS EMULATOR SQL CRONUS

    Por vrios motivos. Nenhum problema de transmisso de chaves. No caso das chaves 2. O sistema foi desenvolvido para que no importe caso algum pegue sua chave pblica, nada poder ser feito com ela para descriptografar o que foi. Fcil manuteno. Se voc tiver mais de uma conexo, com mais de um gateway diferente, pode deixar sua chave pblica em um lugar conhecido e todos pegarem.

    No haver a necessidade de ficar gerando novas chaves e repassando-as para cada um dos novos gateways. Usar a mesma PSK para todos nem pensar! No requer que os IPs das pontas sejam fixos, pois a chave ir garantir a autenticidade da outra mquina. Isto usado para redes virtuais privadas com IPs mveis, e no ser alvo deste documento.

    Para maiores informaes consulte o manual do freeswan, no site na web. Para gerar o par de chaves, execute o comando: [root localhost] ipsec rsasigkey Isto ir gerar um par de chaves RSA de bits. Aconselha-se usar mais bits, como por exemplo Para , a gerao rpida, mas para pode levar at alguns minutos dependendo da mquina em que est sendo executado o comando. Usamos aqui para um exemplo ilustrativo. Com exceo dos comentrios, e da linha que inicia com pubkey que tambm est comentada , todo o resto a chave privada.

    Aquele nmero contido na linha pubkey deve ser repassado para a outra mquina gateway, para ser inserido no arquivo de configurao ipsec.

    Todo o restante dever ser inserido no arquivo ipsec. O arquivo de configurao ficar parecido com isto: A listagem acima contm exatamente a tag de abertura primeira linha e em seguida deve ser colado o contedo EXATO das chaves geradas com o comando mencionado anteriormente, e por ltimo, o tag de fechamento. Na primeira linha, os IPs so opcionais. O importante que na primeira linha, os IPs ou os ":" iniciem exatamente na primeira coluna, e no resto do texto at o final do bloco, nenhuma outra linha inicie no primeiro caractere identar todas as outras linhas.

    O outro lado deve fazer a mesma coisa. Gerar as chaves, guardar as suas chaves privadas no arquivo de secrets local, e enviar a chave pblica para ser acrescentada no arquivo ipsec.

    DOWNLOAD SQL GRÁTIS EMULATOR CRONUS

    Finalmente, para tudo isto funcionar, habilite a autenticao via RSA no. No se assuste com o tamanho dos nmero, eles realmente sero enormes.

    O exemplo de bits apenas ilustrativo, as chaves de podero ter at 4 ou 5 linhas de texto numa janela texto de 80 colunas. Mantenha estes nmeros sempre numa linha s, cada um deles, nunca deixe o editor quebrar a linha em vrias. Ao final, d um reboot na mquina, e deixe que ela carregue tudo automaticamente. Observe se houve alguma mensagem de erro durante o carregamento do "pluto".

    Captulo 9. FTP 9. Como fao para habilitar o acesso ftp em minha mquina? Caso elas estejam comentadas apenas remova o " ". Agora para ativar as mudanas: [root localhost] cds [root localhost]. Verso 7. Isso deixa qualquer usurio pegar arquivos de sua mquina sem ter uma conta, o que um meio popular de tornar programas disponveis na Internet. DisplayLogin welcome. Esta mensagem pode ser configurada com esta opo AccessGrantMsg. Por motivos de segurana recomenda-se utilizar sempre nmeros. Para especificar uma rede inteira, com nmeros utiliza-se Allow from Os filtros utilizam-se de expresses regulares.

    Se h espaos em branco, deve-se utilizar aspas. Exemplo: Somente permite caracteres alfa-numricos e espaos em branco AllowFilter ". Utilizado normalmente para diretrios de upload, onde deve ser possvel a sobrescrita de arquivos. Pode ser til para diretrios de upload, mas no recomendvel utilizar devido ao fato de que podem ocorrer problemas em uma das transmisses e perder-se o arquivo inteiro.

    O parmetro diretrio-raiz qual ser o diretrio raiz do usurio ao acessar o servidor. Group ftp Aps o acesso annimo, o servio roda com o grupo ftp. UserAlias anonymous ftp Cliente loga como annimo e recebe apelido de ftp. No permite escrita em nenhum dos diretrios abaixo o raiz. O padro permitir a leitura, portanto no necessrio usar um. Caso acesse com um usurio que esteja neste grupo, o raiz do mesmo ser passado para o home do usurio.

    Pode ser utilizado na configurao de domnios virtuais, para que possa utilizar grupos diferentes ou iguais e no haver confuso. Tambm pode ser utilizado para domnios virtuais. Controla o tamanho do comando que passado ao servidor. Permite que seja controlado efetivamente o "maior" comando que o servidor ir aceitar, e pode ajudar a proteger o servidor de vrios ataques Denial of Service ou resource-consumption.

    Caso no seja determinado, utilizado, por padro, o home do usurio. NOTE: Caso seja especificado um diretrio no existente, o usurio no conseguir acessar. Sintaxe: Deny ["from"] "all" "none" host network[,host network[, Veja mais em: Allow and Order. O DenyAll pode ser "sobrescrito" pelo AllowAll. No permite que certos comandos que se paream com a expresso regular definida no sejam aceitos pelo servidor. Caso o comando no seja aceito, o servidor mostrar a mensagem de erro "Forbidden command" ao cliente.

    Caso utilize-se o! Exemplo: DenyGroup users,nobody,ftp,! Exemplo: DenyUser root,! DirFakeGroup e seu companheiro, DirFakeUser, podem ser usados para esconder o grupo e usurio propietrios de certo arquivo na listagem do diretrio. Caso no seja especificado nenhum grupo, ser mostrado o ftp por padro.

    Pode-se utilizar de grupos e usurios no existentes no sistema. Por exemplo: DirFakeMode Resultar em: -rw-r Para cada acesso no servidor, aps o usurio entrar em um certo diretrio, ser mostrado o contedo do arquivo definido.

    Tambm pode-se utilizar as "magic cookies". O nome do arquivo pode ser absoluto ou relativo, caso seja relativo, o arquivo ser procurado a partir do diretrio inicial que o usurio acessou home do usurio ou home annimo. Note que ser necessrio o arquivo estar localizado abaixo da raiz do usurio annimo. Quanto a localizao do arquivo, vale o mesmo que a do item anterior. A maioria das opes podem ser utilizadas por este bloco, mas no todas. Em tempo de execuo, todos os blocos so fundidos e finalmente passados para a configurao do servidor.

    Veja mais em User para maiores detalhes. O parmetro hashed-password a senha em modo texto passada pela funo crypt. Os arquivos e diretrios apenas no so listados pelo comando ls, mas caso queira-se entrar no diretrio, apagar ou qualquer outro procedimento, possvel.

    Configura os blocos para que sejam escondidas todas as entradas de diretrio quando for listar o seu contedo para o usurio que estiver acessando o servidor e o mesmo no ter acesso para o diretrio. This can be controlled via the IdentLookups directive.

    Este bloco de configurao utilizado para definir regras de acesso para o servidor. Note que as limitaes para este comando s podem ser feitas caso se queira subir na rvore de diretrios existente.

    O segundo parmetro o prefixo LDAP a ser usado para a autenticao. O grupo e o usurio proprietrios do arquivo sero os mesmos com que o proftpd est sendo executado verifique User e Group. Funciona como o MaxClients. Pelo fato de a opo Allow ser utilizada para permitir e a Deny para restringir, a ordem em que essas opes so examinadas podem alter significativamente as formas de segurana. Se a configurao padro allow,deny est sendo utilizada, ento os acessos "permitidos" so primeiramente verificados.

    Quando a opo Order utilizada com o parmetro "deny,allow", os acessos "restringidos" so verificados antes. Para maior esclarecimento, caso seja utilizado : Order allow,deny 1.

    Verifica as opes Allow. Verifica as opes Deny. Se uma ou mais se aplicam ao caso, o resultado ser : DENY no tem acesso 3. Se uma ou mais se aplicam ao caso, o resultado ser : DENY no tem acesso 2. Zero deixa a banda sem limite. Isto significa que se o usurio tiver a banda enorme e tenha baixado a quantidade "livre" rapidamente, HardBPS parar a transferncia at que a mdia v para baixo do limite dado. Se a quantidade de FreeBytes for elevada e o ReadBPS baixo ento o usurio pode esperar perodos de tempo prolongados at que transferncia continue.

    Zero no significa nenhum limite de banda. Isto significa que se o usurio tiver a banda enorme e mandou a quantidade "livre" de arquivos rapidamente, HardBPS parar transferncia at que a mdia v para baixo ao limite dado.

    Se a quantidade de FreeBytes for elevada e o WriteBPS baixo ento o usurio pode esperar perodos de tempo prolongados at que transferncia continue. Se o arquivo no for encontrado, todos so considerados vlidos. Quando o cliente tenta conectar-se com o root com a senha correta, uma mensagem especial enviada para o syslog. Quando RootLogin est habilitado, o usurio pode acessar o sevidor sem restrio alguma. Primeiramente o pedido passado pelo inetd e ento depois para o proftpd.

    As novas conexes resultaro em processos filhos que sero dedicados para todas os pedidos do novo cliente. Pode-se usar NONE para desabilitar qualquer maneira de registrar as transmisses de toda a configurao do servidor. Se algum dado recebido em qualquer conexo, o temporizador zerado. Configurando o TimeoutIdle para 0, ele desabilitado.

    Tempo mximo, em segundos, que o cliente deve fornecer seu usurio e senha. Se definido para 0, no h limitao. Devem ser utilizados nmeros octais no formato 0xxx. Caso ocorram problemas com o DNS, a conexo pode ficar paralisada stall at que seja retornado "timeout".

    Desabilitando esta opo impede-se a tentativa de conexo de dados com endereos IP reversos. Por padro, o proftpd executado como root que considerado indesejvel em todos mas o mais confiante em configurao de redes.

    Note que caso seja utilizado como apelido um usurio real do sistema, o mesmo no poder efetuar acesso, pois apenas ter direitos iguais ao usurio que estar definido. A senha deve ser texto passado pela funo crypt. Ao invs de utilizar-se de grupos para acesso, atravs do UserAlias.

    Este bloco utilizado para realizar uma configurao independente do servidor padro aplicadas a um servidor particular ou a um endereo IP. Frequentemente utilizado em conjunto com IP aliasing e dummy network a nvel de sistema afim de estabelecer um ou mais servidores virtuais que rodam na mesma mquina.

    Caso seja referente a algum dos servidores virtuais a conexo ser baseada nesta configurao. Caso no seja referente a nenhum dos servidores virtuais e nem ao principal informado ao cliente de que no h nenhum servidor disponvel.

    Como fazer com que o root possa acessar o FTP? Como configurar o wuftp pelo linuxconf e no arquivo? Dever aparecer pelo menos estes trs pacotes. Se algum deles no aparecer, ento ser necessrios instalar o pacote ou pacotes que est faltando. Execute o comando rpm como acima para cada pacote a ser instalado. Verifique se a mesma no est comentada tire o da frente da linha, se este caracter existir. Caso no esteja, basta descomentar e reinicializar o servio inet: [root localhost] [root localhost] [root localhost] cds.

    Pronto, seu servidor de ftp est em funcionamento, com as configuraes bsicas padres. Se este campo no for preenchido, o grupo nobody ser utilizado. Agora, na aba "Controles de acesso" existe trs classes de usurios: "Usurios reais": controle de acesso dos usurios reais do seu sistema.

    Esses so os usurios que tm contas em sua rede. As opes disponveis para cada grupo so idnticas. As opes disponveis so: "pode requisitar arquivos comprimidos": define se o usurio pode requisitar que seus arquivos sejam compactados.

    Na aba "Vrios tempos de espera" pode-se deixar os tempos padres ou alterar conforme o necessrio. Clique em "Aceitar" e saia do linuxconf. Nos campos: "Mquina virtual": digite o nome da mquina virtual machine. Se o seu DNS estiver funcionando corretamente o novo nome para o ftp virtual funcionar sem problemas. Caso seja necessria alguma outra configurao especfica que no exista no linuxconf, pode-se editar diretamente o arquivo de configurao.

    Primeiramente faa a checagem dos pacotes instalados e inet configurado e startado conforme indicado no incio deste documento. Depois disso, o seu servidor de ftp est em funcionamento, com as configuraes bsicas padres. Para restringir o acesso de usurios reais, basta retirar o real da linha anterior Para restringir o acesso de usurios convidados, basta retirar o guest da linha anterior Para restringir o acesso de usurios annimos, basta retirar o anonymous da linha anterior possvel restringir o acesso de tipos de usurios de um certo domnio : class renegados real!

    Define os usurios que podem ou no ter acesso ao servidor virtual de ftp. So aceitos vrios servidores, onde o servio de ftp ir mandar mensagens at que um dos servidores definidos aceite a mensagem. Pode-se definir mais de um email, todos sero notificados. Caso no seja definido nenhum email, no haver avisos.

    Caso no seja definido, sero enviadas notificaes para o email geral. Por padro, todas so permitidas. Como configurar o wuftp pelo linuxconf? A primeira coisa a fazer verificar se os pacotes necessrios esto instalados: [root localhost] rpm -qa grep ftp anonftp Na aba "Diversos" existe as seguintes opes: "Email do administrador": endereo de correio eletrnico do administrador do sistema.

    Servidores Virtuais Para a criao de domnios virtuais Virtual hosts necessrio que o seu servidor deve estar com seu nome cadastrado como vlido no servidor de nomes DNS. Clique em adicionar. Captulo MARS Posso emular um servidor Novell no meu Linux?

    J quanto a administrao do servidor contas de usurios, permisses etc. Afinal, um emulador, no um sistema operacional. O controle da sesso feito por outros protocolos empilhados sobre dele. No caso dos servios Netware, o protocolo de sesso o NCP.

    J no IPX, isso no precisa ser feito. O "nmero IPX" de cada mquina o prprio nmero Ethernet de 48 bits da placa de rede. Tambm no suportado, no IPX, o conceito de netmask. O nmero de rede um campo separado, de 32 bits, do cabealho do pacote IPX. Cada rede local deve ter um nmero unvoco. Adicionalmente, servidores Netware nativos e tambm o Mars desempenham automaticamente a funo de roteadores, se estiverem ligados a mais de uma rede local.

    Uma vez por minuto, os servidores "anunciam-se" com pacotes de broadcast, e isso permite que os servidores montem rapidamente uma tabela de roteamento dinmica. Tambm possvel especificar rotas estticas para IPX, mas dificilmente isso necessrio um possvel uso de rota esttica a interligao de redes via WAN. O kernel do Linux permite criar uma rede interna no prprio kernel. Se voc for usar o Mars-NWE, no use esse recurso. Eles so teis quando voc precisa montar volumes Netware remotos com ncpmount e NO estiver usando o Mars no computador-cliente.

    Quando o Mars l o arquivo de configurao e detecta que h novos usurios no arquivo ou seja, que ainda no esto cadastrados no bindery ele cadastra-os como objetos de bindery, com as senhas especificadas. O ideal cadastrar o usurio sem senha, atribuir uma senha qualquer com o. Os usurios UNIX devem ser cadastrados em grupos condizentes com os grupos de trabalho.

    Por exemplo, se voc tem usurios do setor de recursos humanos, contas a receber e cho de fbrica, e cada um desses grupos deve ter acesso restrito aos respectivos arquivos, devem ser criados trs grupos UNIX o script groupadd pode ser til , e os usurios devem ser membros desses grupos. Se determinados usurios pertencem a mais de um grupo de trabalho, isso no constitui problema. Bindery Desde a verso 0. Programas que dependam dessa capacidade funcionaro todos.

    Porm, o Mars no honra objetos de configurao do prprio servidor, tais como trustees e limitaes de horrio. As permisses de usurios devem ser controladas pelo arquivo de configurao e pelo prprio Linux. Assim, cada usurio pode configurar sua senha sem interveno do administrador do sistema.

    Geralmente isso problema de permisso em diretrios ou arquivos velhos. Renomeie manualmente no Linux e atribua as permisses do usurio. Se voc no o fizer, ali ficaro os diretrios antigos, criados pelo servidor Netware.

    E certo que os nmeros de usurio atribudos pelo Netware que so justamente os nomes dos diretrios no vo bater com os nmeros criados pelo Mars; e voc ter de ficar descobrindo '"quem quem" e atribuir as permisses corretas com chown e chmod etc Apague tudo; assim que voc iniciar o Mars, todos os diretrios sero criados automaticamente. S ento preencha os login scripts dos usurios.

    Permisses dos usurios Como os trustees no so honrados pelo Mars, necessrio estabelecer as permisses no prprio Linux atravs dos comandos chmod, chgrp e chown.

    Os comandos citados acima trabalham apenas com usurios. O usurio Unix associado ao "supervisor" pode ser o root, ou um usurio comum. Se for um usurio comum, ele deve ter um grupo primrio s seu, e tambm deve participar de todos os grupos onde haja usurios Unix associados com usurios Netware. Isso garante que o supervisor possa de fato ler e gravar qualquer arquivo dos volumes exportados. O dgito "2" aciona o bit SGID do diretrio; assim quaisquer arquivos e diretrios novos criados dentro do diretrio sero possudos pelo usurios que os criaram, mas o grupo ser sempre o mesmo do diretrio-me.

    Assim, os demais usurios do grupo tambm tero acesso garantido aos novos arquivos e diretrios. Os arquivos LOGIN podem ser possudos pelo usurio ou ainda possudos pelo root neste ltimo caso o arquivo est protegido contra tentativas de alterao que partam do prprio usurio.

    Se no puder ler o diretrio, o usurio no enxergar subdiretrios e arquivos. Uma maneira ainda mais "limpa" de configurar permisses aos grupos separar os dados em diversos volumes.

    Cada usurio tem acesso restrito ao s volume s do s grupo s a que pertence. O fim dessa permisso permitir o boot remoto e o processo de login. Utilitrios DOS Muitas operaes cadastro de usurios, senhas etc. Ser difcil constituir uma rede Novell-like totalmente livre de software comercial. Se suas estaes forem todas Linux, tambm no haver necessidade dos utilitrios DOS.

    Provavelmente devido ao "Packed Burst". Uma extenso eventualmente encontrada em servidores Netware 3 o BTrieve. J existe BTrieve para Linux, porm um produto comercial, e, principalmente, o processo de substituio deixa de ser algo trivial. Como configuro meu Mars-nwe? Instalando o Servidor Mars 7. Os flags interessantes so: k: permite o uso de nomes em letras minsculas no Linux; sero convertidos automaticamente para maisculas para estaes DOS.

    Isso permite ao Mars otimizar certas operaes em determinados Unixes. No use esse flag se, por exemplo, voc mapear a raiz do Unix num volume Netware. A presena do volume SYS obrigatria. Nome do servidor Netware 2 suporte 3 Rede interna. A opo "auto" faz com que o Mars escolha automaticamente o nmero de rede interna - ele simplesmente utiliza o nmero IP da interface de rede.

    Isso funciona bem pois espera-se que dentro de uma instalao o nmero IP de cada interface nico, e assim tambm ser unvoco o nmero da rede interna. Os parmetros so: nmero da rede, interface de rede, padro de empacotamento pode ser Esse ltimo parmetro usado para fins de roteamento quando h links redundantes; use sempre 1 para placas de rede.

    Assim como nos servidores Netware, cada rede tem de ter um nmero unvoco. Procure usar o que j est em uso na sua rede atual. Se for comear a usar IPX agora, os empacotamentos apropriados so O boot remoto Netware exige Se esta opo estiver habilitada, o Mars salva as rotas quando desativado. Se, quando o Mars ativado, a espera de 1 ou 2 minutos para redescoberta das rotas lhe incomoda, habilite esta opo.

    Alguns softwares s vo funcionar se o Mars alegar ser um Netware 3. Note que, para usar o Packet Burst, a verso alegada tem de ser 3. Operao das senhas de clientes DOS 0: forar encriptao de todas as senhas trafegadas padro 1: idem 0 porm aceita a verso no-encriptada da rotina de mudana de senha. Alguns clientes DOS antigo precisam disso. Aqui define como os diretrios so criados 10 11 12 3 Nmero do usurio e do grupo do "hspede".

    SYS O mais comumente usado nobody:nobody 99 99 Usurios com poder de supervisor. Os parmetros vm na seguinte ordem: nome Netware, usurio Unix correspondente para efeito de permisses e senha.

    Marlen Niemczeski

    Normalmente utilizado o usurio root, mas voc pode utilizar um usurio Unix comum, desde que este tenha permisses suficientes.

    Note que os usurios novos tem de ser cadastrados nesse arquivo e o Mars deve ser notificado disso pelo comando killall -1 nwserv ou parando-se e reiniciando-se o Mars.

    A ltima opo certamente a mais "limpa" pois, uma vez que receba uma senha provisria, o usurio pode escolher por si a senha definitiva. A ordem dos parmetros : usurio Netware, usurio Unix e senha opcional. Note que perfeitamente lcito usar um mesmo usurio Unix para diversos usurios Netware fica inclusive mais fcil implementar a segurana.

    Se voc optar por cadastrar todos os usurios no Linux, crie grupos e atribua cada usurio ao grupo de trabalho correto. Por exemplo, o usurio LALA tem de ter permisses em todos os grupos. Ele tem seu prprio usurio Unix la e grupo la, homnimo ao nome mas est includo em cada um dos grupos de trabalho mala, ocs,adm e pessoal Os usurios de exemplo deste arquivo fazem parte de uma instalao REAL, e esto cadastrados no Linux desta forma.

    O usurio "la" tambm faz parte dos grupos "mala", "ocs", "pessoal" e "adm", e por isso tem acesso a todos os arquivos do servidor.

    GRÁTIS DOWNLOAD EMULATOR CRONUS SQL

    Exceto os possudos pelo root. Os diretrios com permisses garantem que o grupo de trabalho sempre ter acesso a qualquer arquivo novo, mesmo que o grupo primrio do usurio criador seja diverso. No recomendo o uso dessa opo; o parmetro 0 mantm esse recurso desligado.

    O Mars criar os diretrios que no encontrar, de modo que uma opo bastante recomendvel. Se 0x1, oferece a novos usurios um login script vazio, se no existir um. Tambm altamente recomendvel pois clientes Windows 95 antigos no tm opo. Uma e outra coisa mais importante foi traduzida, o resto foi deixado como estava no arquivo de exemplo do Mars.

    GRÁTIS CRONUS DOWNLOAD EMULATOR SQL

    Configurao da resposta requisies "get nearest server" So requisies que estaes em processo de login ou carga de boot remoto fazem para obter o diretrio de login ou a imagem do boot. Digite o comando ifconfig e verifique se aparece a interface IPX na placa de rede: [root localhost] ifconfig. Agora, verifique se o mesmo est sendo anunciado na rede com o comando: [root localhost] slist.

    Agora bastar configurar suas estaes. Feito isso, verifique se aparece os servidores novell de sua rede, com o comando: [root localhost] slist. Para utilizar uma impressora de um servidor MARS ou novell, adcione a impressora normalmente, apenas atente para escolher para utilizar Impressoras Netware, e informe alm da configuraes normais, o nome de seu servidor Novell, nome da fila de impresso, e o nome e senha do usurio.

    Confiurando o Servidor Mars pelo linuxconf CL 7. Diretrio: digite o caminho completo deste diretrio. Aceitar Fechar Opes do servidor de impresso Modo de criao padro para diretrios: permisso do diretrio de impresso.

    Modo de criao padro para arquivos: permisso dos arquivos para impresso. Nome da fila: Tecle F4 para selecionar a fila Aceitar Fechar Opes dos servios de impresso Diretrio de spool: o diretrio para onde vo os arquivos a serem impressos.

    Aceitar Fechar Dispositivos de rede IPX Dispositivos IPX Nmero de rede: Este nmero determinado pelo roteador da rede fsica qual voc est conectado Dispositivo: a interface de rede Tipo de quadro: o tipo do quadro de pacotes que iro trafegar na rede. Recomenda-se utilizar os valores padro. Aceitar Fechar Opes de rede Rede interna: coloque o numero da rede interna. Aceitar Fechar Outras opes neste tpico configuram-se as opes diversas do servidor Mars.

    NIS Como configurar o NIS? A grande utilidade do NIS possuir todos os usurios em uma nica mquina facilitando a administrao. Aps reinicar a mquina verifque se o dominio est ativo digitando: [root localhost root] nisdomainname. Basta agora adiconar os usurios localmente. Desta forma o servidor est configurado. Tente efetuar login como um usurio criado no servidor NIS.

    Desta forma o cliente est devidamente configurado. Caso no, instale os pacotes usando o apt: [root localhost] apt-get install ypserv ypbind yp-tools linuxconf-nisconf. Aps iniciar o servio verifique se ele est ativo usando o comando abaixo: [root localhost root] nisdomainname. O erro decorrente da utilizao do gcc stack-guard na compilao do pacote. NFS Como configurar o NFS? Funciona permitindo as "mquinas" acessar arquivos em mquinas remotas, como se estivesse em um diretrio da mquina local.

    Para saber mais sobre o NIS acesse e leia: linux. Quando acessado o NFS, o kernel envia uma chamada RPC ao servidor nfsd na mquina servidora, nesta so enviados os parmetros, descritor de arquivos, o nome do arquivo, o identificador de usurio e grupo, usados para controle. Estes pacotes, na maioria das vezes j so instalados por default, mas caso no tenham sido instalados, os pacotes so estes: Marumbi rpm -ivh nfs-server Servidor 3.

    Meu servidor fica aqui no brasil, possuo diversos ips na OVH, e la nunca cai! Eles seguram tudo. Ataque é recebido no brasil e enviado para rota nula Tem como fazer isso?

    Direcionar o ataque para um outro servidor, sem o servidor original ficar off-line? Instalei, realizei todas as configurações que eu tive conhecimento e acesso glogando por ai. Seguinte, so quero liberar uma unica porta que sera a do mysql Mas preciso dela aberta para o acesso remoto do site.

    Alguem pode me ajudar a fazer isso? Pro exemplo, quero somente o ip Muito obrigado! Como resolver essa parte? Executava o comando "sv" de qualquer diretório e o mesmo funcionava. Isso no Centos 5. Pode me ajudar a corrigir esse script? Segue o script original:! Sera que alguem pode continuar me ajudando nisso? Ja rodei o mundo e ai da paro no mesmo lugar Mandei os dados aguardo seu retorno! Eu fiz isso amigo, mas o problema persiste. É realmente nao esta fluindo esse pop.